• Eduardo Romano

Como a tecnologia mudou a paquera e o convívio dos casais

Atualizado: 12 de Jun de 2019

O romance movido pelos bits! 💌


    O amor está no ar! É inegável que a febre dos aplicativos e dos sites de relacionamento ainda está em alta. Desde a década de 90, a humanidade vem se familiarizando com novas maneiras de se relacionar e esse avanço foi conquistado graças ao salto tecnológico dado pelos computadores, smartphones e redes de comunicação. A recente adição do Dating, chamado de “o novo cupido inteligente do Facebook” é um sinal de que muitas ferramentas nesta linha surgirão nos próximos anos. Hoje tornou-se mais simples encontrar um(a) parceiro(a) de acordo com gostos semelhantes, sejam eles algum estilo musical, gênero de filme ou mesmo culinária predileta. Que tal um jantar com alguém que tenha sonhos em comum? Parece um encontro muito promissor! Porém queremos abrir um breve debate sobre os prós e os contras de todas estas mudanças.


    Analisando toda esta alteração no comportamento humano e nas relações interpessoais, um estudo da Brigham Young University, intitulado "Technoference: The Interference of Technology in Couple Relationships and Implications for Women's Personal and Relational Well-Being", resumiu a partir de pesquisas que os dispositivos tecnológicos foram responsáveis pelas interrupções mais constantes dos casais em momentos destinados ao lazer, conversas e refeições conjuntas. Concluindo assim, que esta perturbação estaria atrelada como um dos principais fatores do descontentamento do casal.


Em contrapartida a este pensamento, casais familiarizados com a tecnologia utilizam toda esta força para manter o relacionamento “quente”, até o momento em que seja possível um encontro físico. As novas ferramentas também encurtaram distâncias, tornando-se eficazes para que os solteiros possam encontrar parceiros residentes em outras cidades ou até mesmo estados. Não é à toa que o gigante conglomerado de Mark Zuckerberg investiu em uma ferramenta própria para encontros. De acordo com dados da própria empresa, hoje o Facebook tem mais de 200 milhões de perfis que declaram estar solteiros. Portanto, nada mais interessante para os negócios do que deixar seus usuários entretidos por mais tempo em sua rede e imersos em anúncios patrocinados.


       Depois deste breve debate, que tal dar uma oportunidade para as novas tecnologias e partir para aquele match* em seu paquera virtual? Ou você é um romântico das antigas e prefere aquela carta tradicional? Acima de qualquer estudo ou debate, o amor se demonstra cada vez mais como um sentimento universal, que independe de gênero, cor, orientação sexual ou até mesmo da distância.


por Eduardo Romano

Analista de Marketing e Comunicação da MAPPRE


* Desde de que o aplicativo de relacionamentos Tinder surgiu, a palavra match é uma forma de demonstrar para uma pessoa que você se interessa por ela e ela por você. Assim sendo, um match acontece quando duas pessoas se paqueram na ferramenta.

0 visualização